Pular para o conteúdo

TROMBOSE HEMORROIDÁRIA EXTERNA: CAUSAS, SINTOMAS E TRATAMENTOS

Por: Dr. Leonardo Maciel em 04/01/2021

Trombose hemorroidária externa: causas, sintomas e tratamentos

As hemorróidas são tecidos muito vascularizados localizados no ânus e no reto baixo. Baseado na sua localização existem dois tipos de hemorróidas: externas e internas.
A trombose hemorroidária externa consiste na formação de um coágulo no interior de um vaso hemorroidário externo. Ela é percebida como um caroço duro doloroso ou sensível. Em um mesmo momento, podem surgir um ou mais coágulos. Ocorre sangramento se existir ruptura da pele local.

Causas da trombose hemorroidária externa

O esforço evacuatório aumentando ou prolongado, o trauma anal provocado por passagem de fezes endurecidas ou uma contração abdominal exagerada para carregar peso podem provocar o surgimento da trombose hemorroidária.
Assim os principais eventos causadores da trombose hemorroidária externa são:
• Constipação intestinal
• Longos períodos sentado no vaso sanitário
• Gestação
• Parto vaginal
• Sexo anal
• Má higiene anal
• Ingestão exagerada de alimentos picantes e bebidas alcoólicas
• Esforço físico exagerado do tipo isotônico, por exemplo musculação.

Sintomas da trombose hemorroidária

Dor e inchaço na região anal, que surgem de forma aguda. A dor costuma ser intensa, e durar de cinco a sete dias. Contudo alguns pacientes podem não apresentar dor. Pode ocorrer sangramento devido a uma erosão na ano-derma (pele da borda anal), por onde se exteriorizam os coágulos. Há quadros graves com estrangulamento e necrose dos vasos hemorroidários.

Tratamentos

O tratamento conservador consiste em evitar a constipação, aumentando a ingestão de líquidos e fibras na dieta e medicação anti-inflamatória para dor. Banhos de assento também podem ser úteis para o conforto.
Os flebotônicos, como a troxerrutina-cumarina , a diosmina-hisperidina e o dobesilato de cálcio, são medicamentos que apresenta bons resultados. Para uso tópico, o policresuleno com cinchocaína é uma ótima opção. A dor local e o inchaço devem começar a diminuir após alguns dias, mas pode demorar até quatro a seis semanas para que o nódulo desapareça completamente.
Alguns profissionais fazem uma incisão para a remoção do trombo sob anestesia local nos primeiros dias do evento trombótico. Essa medida tem a vantagem de diminuir a duração da dor.

Conselhos para evitar a doença hemorroidária

01 – Beba bastante líquido no mínimo 1,5 a 2 litros por dia.
02 – Coma uma dieta balanceada: rica em fibras, cereais, pão integral, frutas e vegetais.
03 – Evite alimentos que possam provocar irritação local (álcool, condimentos, pimenta, chocolate) ou estímulo intestinal (café, chá).
04 – Faça exercícios físicos regularmente, como ginástica, caminhadas, natação.
05 – Cuide da higiene pessoal, mas tome cuidado com produtos que possam se tornar uma causa de irritação local a longo prazo (papel higiênico, toalhas ásperas, sabonetes irritativos, etc.)
06 – Procure evacuar em horários regulares, como por exemplo: ao acordar, após as refeições, etc. Mas atenda prontamente o desejo de evacuar, ou seja, evite adiar a evacuação para realizar outras atividades.
07 – Não fique em locais muito quentes por períodos prolongados.
08 – Evite carregar peso acentuado.
09 – Evite roupas muito apertadas.
10 – Quando os sintomas persistirem (sangue no papel higiênico ou toalha, desconforto anal) consulte seu médico.
11 – Evite o uso de laxantes. Modifique seus hábitos alimentares.
12 – Prefira a roupa íntima de algodão. As fibras sintéticas impedem a transpiração cutânea e podem provocar irritações.
13 – Não faça autotratamento: os riscos são grandes e os benefícios pequenos.
14 – Visite seu médico sempre que necessário. Mais vale prevenir do que remediar.

Dr. Leonardo Maciel

Postado por: Dr. Leonardo Maciel, publicado em: 04/01/2021

Médico com residência médica em Cirurgia Geral, Coloproctologia e Endoscopia Digestiva. Mestre e Doutor em Cirurgia. Membro Titular da Sociedade Brasileira de Coloproctologia e do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *