Pular para o conteúdo

HERPES GENITAL

Por: Dr. Leonardo Maciel em 04/02/2020

HERPES GENITAL

A herpes genital é uma doença sexualmente transmissível (DST) muito frequente e altamente contagiosa. Estima-se que 417 milhões de pessoas em todo o mundo estão infectadas.

O herpes é dos um vírus mais comumente transmitido entre pessoas por meio do contato da pele ou mucosa com uma área infectada. As feridas da herpes são preenchidas com líquidos que transportam o vírus. O sexo vaginal, anal ou oral com alguém que tenha herpes genital pode transmitir o vírus. A herpes também pode ser contraída de um parceiro sexual infectado que não tem feridas visíveis. Isso ocorre, pois o vírus não tem como ser eliminado do corpo com tratamento.

O principal causador da herpes genital é o vírus do herpes simples tipo 2. Ele é transmitido principalmente por meio de contato sexual. Já o vírus herpes simples tipo 1 é principal causador das lesões labiais. E a transmissão se dá pelo contato com lesões na região da boca. Contudo o vírus do tipo 1 também pode causar lesões na região genital. Isso ocorre durante o sexo oral com indivíduos infectados.
O herpes genital pode ser transmitido mesmo com uso de preservativos. Embora os preservativos possam reduzir a disseminação de doenças sexualmente transmissíveis, a transmissão do herpes pode ocorrer em áreas que não são cobertas por ele.

Uma pessoa pode ter herpes genital e nem perceber que está doente. A maioria das pessoas apresenta sintomas leves ou mesmo nenhum sintoma. Contudo mesmo sem sintomas, uma pessoa infectada pode transmitir o vírus do herpes para o seu parceiro.

Quando os sintomas do herpes genital aparecem, os mais comuns são uma ou mais bolhas genitais, retais ou bucais, e posteriormente feridas abertas (úlceras). Essas úlceras podem ser dolorosas, coçar e drenar secreção. Quando ocorre a infecção inicial pelo herpes genital, a pessoa pode apresentar sintomas gerais e inespecíficos, semelhantes aos de uma gripe ou resfriado. Incluindo febre, dores no corpo e gânglios linfáticos inchados.

Atualmente, não existe cura para o herpes genital, mas existem medicamentos que podem prevenir os episódios ou diminuir a duração destes. Os medicamentos antivirais são os mais comumente prescritos. Esses medicamentos são mais eficazes quando tomados assim que um novo episódio começa, e podem ajudar a reduzir a gravidade e a duração. Esses medicamentos também reduzem a chance de transmitir o vírus a um parceiro.

Dr. Leonardo Maciel

Postado por: Dr. Leonardo Maciel, publicado em: 04/02/2020

Médico com residência médica em Cirurgia Geral, Coloproctologia e Endoscopia Digestiva. Mestre e Doutor em Cirurgia. Membro Titular da Sociedade Brasileira de Coloproctologia e do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *