Pular para o conteúdo

HEMORRÓIDAS

Por: Dr. Leonardo Maciel em 23/07/2019

HEMORRÓIDAS
Muitas vezes descritas como “veias varicosas do ânus e reto”, as hemorroidas (doença hemorroidária) são vasos sanguíneos aumentados e inchados em torno do ânus e do reto inferior.
Na doença hemorroidária, os tecidos que sustentam esses vasos esticam, e como resultado, os vasos se tornam frágeis, com paredes finas, facilitando a ocorrência de sangramento. Quando esse processo é mais intenso, os vasos enfraquecidos se projetam para fora do canal anal.
Os tipos de hemorróidas, externas e internas, referem-se à sua localização:
– Hemorróidas externas se formam perto do ânus e são cobertas por pele sensível. Elas geralmente são indolores, a menos que um coágulo de sangue (trombose) se forme.
– Hemorróidas externas trombosadas são coágulos sanguíneos que se formam em uma hemorróida externa, sob a pele anal. Se os coágulos forem grandes, podem causar dor significativa. Um episódio de trombose hemorroidária externa, normalmente se apresenta como uma massa anal dolorosa, que surge de repente, e piora durante as primeiras 48 horas. A dor geralmente diminui nos dias seguintes. Pode haver sangramento se a pele que cobre o coágulo se romper.
– Hemorróidas internas se formam dentro do ânus abaixo do revestimento mucoso. Sangramento indolor e protrusão durante os movimentos intestinais são os sintomas mais comuns. Geralmente ocorre dor, quando a hemorróida fica prolapsada. Isso significa que ela deslizou para fora da abertura anal, podendo ou não ser empurrada para dentro novamente.

FATOS E ESTATÍSTICAS SOBRE DOENÇA HEMORROIDÁRIA
A doença hemorroidária é uma das doenças mais conhecidas. Milhões de pessoas sofrem atualmente de hemorróidas. E normalmente a pessoa sofre por um longo tempo antes de procurar tratamento para médico.
Avanços nos métodos de tratamento, permitem que alguns tipos de hemorróidas sejam tratadas com métodos muito menos dolorosos do que antes.

CAUSAS
A causa exata da doença hemorroidária é desconhecida. Sabe-se que as veias retais recebem uma elevada pressão devido à postura ereta nos seres humanos. Esse excesso contínuo de pressão pode potencialmente causar abaulamento dos vasos hemorroidários. Outros fatores contribuintes incluem:

– Envelhecimento
– Constipação ou diarreia crônicas
– Gravidez
– Hereditariedade
– Esforço para realizar evacuações
– Uso excessivo de laxantes ou enemas
– Passar longos períodos no banheiro (por exemplo, leitura)

SINTOMAS
Qualquer um dos itens abaixo pode ser um sinal de hemorróidas:

– Sangramento durante as evacuações
– Protrusão da pele durante as evacuações
– Coceira na região anal
– Dor na região anal

TRATAMENTO NÃO CIRÚRGICO
É importante que os sintomas sejam avaliados por um coloproctologista. O auto-tratamento deve ser evitado.
Sintomas leves podem ser aliviados na maioria das vezes sem cirurgia. O tratamento não cirúrgico inclui:
– Ingerir uma dieta rica em fibras e tomar suplementos de fibra (25-35 gramas de fibra/dia) para que as fezes fiquem macias.
– Evitar o esforço excessivo durante as evacuações. Esse comportamento ajuda a reduzir a pressão sobre as hemorróidas e ajudar a evitar a protrusão.
– Beber mais água (2 a 3 litros por dia) para impedir que as fezes fiquem ressecadas.
– Realizar banhos de assento com água morna por 10 a 20 minutos, algumas vezes por dia, para ajudar no processo de cura.

TRATAMENTO CIRÚRGICO
Ligadura elástica: Este tratamento funciona bem em hemorróidas internas, que prolapsam durante a evacuação. Um pequeno elástico é colocado sobre a hemorróida, cortando seu suprimento de sangue. A hemorróida e o elástico caem em poucos dias. Após a queda do elástico, forma-se uma ferida, que geralmente cicatriza em uma a duas semanas. Após a realização da ligadura podem ocorrer desconforto leve e sangramento. Às vezes, esse tratamento precisa ser repetido para a resolução completa das hemorróidas.
Hemorroidectomia: Este é o método cirúrgico mais completo para a remoção dos vasos hemorroidários doentes. É feito sob anestesia, usando suturas ou grampos. Há atualmente alguns dispositivos que propiciam um tratamento efetivo, com menos dor no pós-operatório e com recuperação e retorno mais rápido ao trabalho. Dependendo do caso, pode ser necessário um período de hospitalização, e de repouso. Ao contrário da crença popular, os métodos a laser não oferecem nenhum benefício em comparação com as técnicas cirúrgicas padrão. A cirurgia a laser é cara e não menos dolorosa.
A hemorroidectomia é considerada quando:

– Casos de trombose hemorroidária externa que não melhoram em poucos dias.
– Quando a ligadura elástica não é eficaz no tratamento das hemorróidas internas.
– Em prolapsos hemorroidários que não podem ser reduzidos
– Quando há sangramento crônico.

HEMORROIDAS CAUSAM CÂNCER COLORRETAL?
Hemorróidas não aumentam o risco de câncer colorretal, nem causam isso. No entanto, condições mais graves podem causar sintomas semelhantes. Mesmo quando uma hemorróida tiver cicatrizado completamente, o seu coloproctologista poderá solicitar outros testes. Uma colonoscopia pode ser feita para descartar outras causas de sangramento retal. Todas as pessoas com 45 anos ou mais devem passar por uma colonoscopia para rastrear o câncer colorretal.

Dr. Leonardo Maciel

Postado por: Dr. Leonardo Maciel, publicado em: 23/07/2019

Médico com residência médica em Cirurgia Geral, Coloproctologia e Endoscopia Digestiva. Mestre e Doutor em Cirurgia. Membro Titular da Sociedade Brasileira de Coloproctologia e do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *