Pular para o conteúdo

Por: Dr. Leonardo Maciel em 12/09/2021

Como prevenir o câncer colorretal

O câncer colorretal é um tipo de tumor maligno é bastante comum em países desenvolvidos, sendo mais frequente em homens do que em mulheres.

No Brasil, de acordo com dados fornecidos pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), estimam-se que, para cada ano do triênio de 2020-2022, 20.540 casos de câncer de cólon e reto ocorreram em homens e 20.470 em mulheres. Esses valores correspondem a um risco estimado de 19,64 casos novos a cada 100 mil homens e 19,03 para cada 100 mil mulheres.

Contudo, o câncer colorretal é um tumor passível de prevenção, e apresenta excelente prognóstico, ou seja, uma grande chance de cura desde que se faça um diagnóstico precoce. E isso pode ser feito com ações acessíveis na rotina diária.

Veja abaixo algumas maneiras a proteger a saúde do seu intestino. Essas recomendações baseiam-se nas orientações da American Cancer Society

1) Faça o rastreamento para câncer colorretal

Os exames de rastreamento para qualquer tumor tem o objetivo de encontrar o câncer em estágios iniciais, ou melhor ainda, quando há apenas alterações benignas. Quanto mais cedo se diagnosticar um tumor, mais altas são as chances de sucesso no tratamento e cura.

Com câncer colorretal não é diferente. Atualmente a colonoscopia é um dos principais exames para realização deste tipo de prevenção. A American Cancer Society recomenda a realização da colonoscopia partir dos 45 anos para pessoas com risco médio.

Por meio da colonoscopia é possível localizar e remover crescimentos pré-cancerosos (pólipos) no cólon ou reto.
Os pólipos não são câncer, são ainda alterações benignas, mas com o passar dos anos, eles podem sofrer transformações e tempo o câncer pode começar nos pólipos. Removê-los diminui o risco de câncer. Converse com seu médico sobre quando você deve iniciar o rastreamento e quais exames podem ser adequados para você.

2) Coma mais vegetais, frutas e grãos inteiros

Dietas ricas em vegetais, frutas e grãos inteiros têm sido associadas a uma redução do risco de câncer colorretal. Além disso, é recomendável diminuir a ingestão de carne vermelha (bovina, suína ou cordeiro) e carnes processadas (salames, salsichas, linguiças, presuntos, carnes enlatadas, molhos à base de carne, etc), que foram associadas a um risco aumentado de câncer colorretal.

3) Abandone o sedentarismo

O indivíduo sedentário, pode ter uma chance maior de desenvolver câncer colorretal. Praticar atividades físicas pode ajudar a reduzir o risco.

4) Assuma o controle de seu peso

Estar acima do peso aumenta o risco de contrair e morrer de câncer retal ou de cólon. Uma alimentação mais saudável e o aumento da atividade física podem ajudá-lo a controlar o peso.

Pesquisas mostram que os hábitos relacionados à dieta, peso e exercícios, estão fortemente ligados ao risco de câncer colorretal. Mudar alguns desses hábitos de vida pode ser difícil. Mas, fazer as mudanças também pode diminuir o risco de muitos outros tipos de câncer, bem como de outras doenças graves, como doenças cardíacas e diabetes.

5) Abandone o tabagismo

Os fumantes têm maior probabilidade de desenvolver e morrer de câncer retal ou de cólon do que os não fumantes.

6) Evite o álcool

O consumo de bebidas alcoólicas tem sido associado a um maior risco de câncer colorretal. As atualizações científicas mostram que é melhor não beber álcool. Mas, se você fizer isso, a American Cancer Society não recomenda mais do que dois drinques por dia para homens e uma bebida por dia para mulheres.

7) Atente-se ao histórico de câncer na família

Se houver casos de câncer colorretal em familiares próximos, especialmente se diagnosticados em idade abaixo dos 50 anos, procure um coloproctologista. Até 25% dos casos de câncer colorretal possuem componentes genéticos hereditários.

Há síndromes familiares específicas que estão associadas ao surgimento do câncer colorretal. Essas doenças hoje são detectadas com eficácia através da análise genética da saliva ou sangue. Uma vez identificada a mutação ou mutações predisponentes, um aconselhamento especializado é oferecido. As condutas preventivas variam entre colonoscopias anuais, uso de medicamentos preventivos, como a aspirina, e até a remoção preventiva do intestino grosso.

Dr. Leonardo Maciel

Postado por: Dr. Leonardo Maciel, publicado em: 12/09/2021

Médico com residência médica em Cirurgia Geral, Coloproctologia e Endoscopia Digestiva. Mestre e Doutor em Cirurgia. Membro Titular da Sociedade Brasileira de Coloproctologia e do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.